Dossiê Doctor Who | O Terceiro Doctor

Dando prosseguimento aos dossiês sobre as encarnações do protagonista da série Doctor Who, a seguir irei apresentar um pouco sobre o episódio de regeneração do Segundo Doctor (Patrick Troughton) para o Terceiro Doctor (Jon Pertwee).

A Segunda Regeneração

The War Games é último arco da sexta temporada e em seu episódio final ocorre a segunda regeneração da série. Roteirizado por Malcolm Hulke e Terrance Dicks, o arco começa com o Doctor, Zoe e Jamie no que parece ser a Terra na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), mais precisamente nas trincheiras do ano de 1917. Em seguida, o Doctor descobre que não estão na Terra, mas no meio de uma guerra em um planeta semelhante ao nosso. A TARDIS acabou indo parar em Gallifrey, o planeta natal do Doctor. Seus habitantes são uma raça alienígena, que possui a mesma habilidade do protagonista: manipular o tempo. Eles são conhecidos como Time Lords (Senhores do Tempo ou Gallifreyanos). Nesse arco, é abordado o motivo que o Doctor levou para abandonar Gallifrey. A série cita por vezes que a encarnação do Primeiro Doctor deixou Gallifrey devido ao tédio e isso ocorre quando o protagonista não quer entrar em detalhes sobre isso em uma conversa.

Mas, a partir deste arco é explorado os reais motivos que o levaram a ir embora. Gallifrey, possui um governo chamado Alto Conselho de Gallifrey, onde seus integrantes se acham sábios, mas são arrogantes e se sentem superiores às outras raças espalhadas pelo Universo.  O Doctor por sua vez não compartilha desses ideais, não concordando com a forma que pensam e agem. Todos os habitantes Gallifreyanos devem obedecer o Alto Conselho que cria leis, penalizações e comanda o Exército de War Lords (Senhores de Guerra). Uma das leis existentes é a Política de Não-Interferência que se assemelha com a ideia abordada na série Star Trek. Mas, o Doctor em sua Primeira Encarnação acabou infringindo essa lei e a penalização é a execução, ou seja a regeneração.

Ele então decide fugir de seu planeta usando uma TARDIS tipo 40, onde acaba parando na Terra com sua neta. Lembrando que toda essa história não é citada explicitamente nas encarnações anteriores, muito menos nas temporadas do Primeiro Doctor, já que toda essa mitologia no início não era muito bem planejada pelos produtores e roteiristas. Assim, com o avançar da série (mais precisamente na Série Nova e em histórias paralelas) toda essa história por trás do protagonista é explorada aos poucos e vai sendo construída a fim de explicar quem é o Doctor além do que já sabemos. No arco The War Games, os Time Lords querem reunir um grande número de soldados para dominar a galáxia e acabam encontrando o Doctor. Decidem então, finalmente julgá-lo forçando-o a se regenerar e ao exílio na Terra. Desta regeneração, vemos a transferência do Doctor de Patrick Troughton para a terceira encarnação, com o ator Jon Pertwee. Esse arco teve uma média de audiência de 5 milhões de espectadores durante sua exibição entre 19 de abril à 21 de outubro de 1969.

Saída de Patrick Troughton e entrada de Jon Pertwee

Por causa do incessante trabalho da sexta temporada, o ator Patrick Troughton já estava cansado. Suponho que assim como já ocorreu com outros atores em Doctor Who, Troughton depois de muito tempo na série, não queria ficar preso a apenas um projeto e estava interessado em outros papéis.  A BBC então decidiu que estava na hora de colocar o conceito de regeneração em prática novamente. Devido ao interesse do produtor Peter Bryant e a próxima produtora Derrick Sherwin, o ator Jon Pertwee que também queria o papel foi selecionado para ser a terceira encarnação do Doctor.

Antes de ser ator, Jon Pertwee foi um membro da tripulação do HMS Hood durante a Segunda Guerra Mundial e passou cerca de seis anos na Royal Navy. Anos depois, trabalhou na altamente secreta Divisão de Inteligência Naval ao lado de Ian Fleming que veio a ser no futuro o famoso autor de James Bond. Durante essa época, Pertwee ainda chegou a relatar informações diretamente com o primeiro-ministro Winston Churchill! Após a guerra, Pertwee decidiu fazer carreira como um ator de comédia na rádio chegando a ser considerado em 1948, como a voz mais versátil da rádio. Sua carreira se estende no teatro, na televisão e em uma série de filmes chamada Carry On durante os anos 60. O ator já atuou ao lado do notável William Hertnell (o primeiro Doctor), no filme Will Any Gentleman em 1953.

O Doctor de Pertwee

jon pertwee as doctor

Jon Pertwee interpretou o Terceiro Doctor durante os anos de 1970 à 1974 com cinco temporadas ao todo. Após ser exilado, Doctor pousa na Terra sem poder viajar para fora do planeta, já que os Time Lords “bloquearam” a TARDIS. O protagonista então dá início a uma nova jornada, mas de vez em quando tenta desfazer o que os Time Lords fizeram com sua nave. Assim como seus antecessores, o Doctor de Pertwee é singular e o primeiro com mais extravagância no figurino. O novo visual de Doctor Who possui bastante semelhança com The Prisioner (1967-1968), série produzida por McGoohan e George Markstein.

Possuindo um tipo mais “atlético”, O Terceiro Doctor tem atitudes que lembram as de espiões como o Agente 007 e chega a lutar Aikido Venuziano (uma espécie de karatê) fisicamente com seus inimigos. Os Doctors antecessores evitaram confronto físico, pois acreditavam que era possível derrotar seus inimigos usando apenas a inteligência e estratégias. A peculiaridade do Terceiro Doctor, pode ter grande influência da época pós-guerra e das ficções que surgiam em programas de rádio e até mesmo na literatura.

Este Doctor era charmoso, com raciocínio ágil para a resolução de problemas, possuía a postura do típico lorde inglês, tanto na fala quanto na exímia educação e usava termos que misturavam ciência e tecnologia. Outro elemento característico deste Doctor, é que durante seu exílio ele trabalhou como assessor científico não remunerado para a UNIT (Unified Intelligence Taskforce ou United Nations Intelligence Taskforce) e assinou uma espécie de contrato assinando com o nome de John Smith. Não, esse não é o verdadeiro nome do Doctor, mas é um dos pseudônimos que o protagonista usa até mesmo em outras encarnações. Além da TARDIS, este Doctor utilizava um calhambeque amarelo que chamava de Bessie. Como o ator serviu a Marinha Real Britânica, Pertwee possuía uma tatuagem no braço, que no Universo Expandido da série foi explicada como sendo a marca de exílio que os Time Lords deixaram no Doctor.

A UNIT

É uma organização ultra secreta que tem por finalidade investigar os casos que possuem envolvimento de seres extraterrestres aqui na Terra. Conhecemos durante as novas histórias, diversos personagens que fazem parte da UNIT e não necessariamente tornam-se companions do Doctor. O Brigadeiro Alistair Gordon Lethbridge-Stewart, tinha uma relação cômica com o Doctor, pois sempre discordam um do outro até chegarem a uma conclusão. Alistair é um militar autoritário, que se irrita com o ar de superioridade do Doctor. Mas, com o tempo se tornaram bons amigos. Destacam-se também os personagens Capitão Mike Yates (Richard Franklin) e o Sargento Benton (John Levene) são outros personagens que se destacaram nas histórias fazendo parte da UNIT.

Companions

 Na primeira temporada, o Doctor tem a companhia da Drª Elizabeth Shaw (Caroline John), mais conhecida como Liz. Ela é uma cientista da Universidade de Cambridge que se juntou a UNIT pois é especialista em meteoritos e diversos outros assuntos. Ao lado do Doctor lutou contra a invasão dos seres Nestene. Liz deixa de acompanhar o Doctor e continua seu trabalho em Cambridge no arco Inferno, o último desta temporada. A personagem Josephine Grant (Katy Manning), chamada geralmente de Jo ela torna-se a nova companhia do Doctor no primeiro arco da segunda temporada, Terror of the Autons. Ela é alegre e otimista e a sempre motivava o Doctor nos momentos difíceis. Jo permaneceu como companion até o arco The Green Death na Décima Temporada.

Mas, sem dúvida Sarah Jane Smith se tornou uma companion querida e memorável para os fãs. Espero em breve poder falar mais a respeito dela, então vou deixar aqui algumas considerações sobre a personagem. Interpretada pela atriz Elisabeth Sladen, Sarah Jane teve sua primeira aparição no arco The Time Warrior, o primeiro da Décima Primeira Temporada. Ela esteve presente na série clássica durante os anos de 1973 à 1976.

Elisabeth Sladen como Sarah Jane Smith
Elisabeth Sladen como Sarah Jane Smith

Sarah era uma jornalista da revista Metropolitan, independente, corajosa, curiosa e com um grande instinto investigativo. Ao lado do Doctor, enfrentou diversos inimigos como os Sontarans, Davros e os Zygons. Posteriormente foi companion do Quarto Doctor interpretado por Tom Baker.

A personagem reapareceu diversas outras vezes sendo todas elas interpretadas por Elisabeth Sladen, como em um spin-off chamado K-9 and Company de 1981 e o especial de aniversário The Five Doctors de 1983. Ganhou uma série spin-off intitulada As Aventuras de Sarah Jane (The Sarah Jane Adventures) que foi ao ar em 2007 e terminou em 2011.

Chegou a participar de alguns episódios da Série Nova, como em School Reunion da segunda temporada com a décima encarnação do Doctor sendo interpretado pelo ator David Tennant. Sarah Jane Smith sem dúvida foi uma companion marcante e devido sua importância por ser uma personagem forte, participou inúmeras vezes das histórias de Doctor Who.

Sétima Temporada: Exiled To Earth

Aparência de um Silurian
Aparência de um Silurian

Em 1970, devido o começo das transmissões em cores a sétima temporada de Doctor Who já podia contar com mais extravagância, efeitos práticos, cenários com belas paisagens e melhoria na aparência dos vilões. Devido a época e o baixo orçamento para maquiagens e efeitos práticos, muitos vilões alienígenas são um tanto quanto bizarros para o público atual. Mas, muitos deles evoluíram com o andamento da série e fazem parte da Série Nova com o visual renovado, sem perder referências de suas origens. Mesmo com poucos arcos, mudou o que se conhecia por Doctor Who na época trazendo ainda mais telespectadores.

  • Spearhead from Space (quatro episódios)
  • Doctor Who and the Silurians (sete episódios)
  • The Ambassadors of Death (sete episódios)
  • Inferno (sete episódios)

Oitava Temporada: Enter – The Master

Roger Delgado como The Master
Roger Delgado como The Master

Esse período de Doctor Who foi marcado pela introdução de um novo vilão: The Master (Roger Delgado) que aparece em todos os arcos. A relação do antagonista com o Doctor é semelhante à de Moriarty com Sherlock Holmes (como fica ainda mais evidente na Série Nova).

A audiência da série aumentava e o produtor Barry Letts junto ao editor de roteiro Terrance Dicks, mudaram o ar da série para a visão original voltada para a família, pois queriam algo mais leve, já que a sétima temporada estava muito presa a ficção científica e ao militarismo.

O primeiro arco Terror of the Autons chegou a registrar em janeiro de 1971 uma audiência média de 8 milhões de telespectadores! Nesta temporada, os Time Lords permitem que o Doctor volte a usar a TARDIS, possibilitando-o a viajar pelo tempo e espaço novamente.

Os arcos a seguir fazem parte da oitava temporada:

  • Terror of the Autons (quatro episódios)
  • The Mind of Evil (seis episódios)
  • The Claws of Axos (quatro episódios)
  • Colony In Space (seis episódios)
  • The Daemons (cinco episódios)

Nona Temporada: A Galactic Yo-Yo

Em 1972 a nova temporada estava em uma espécie de zona de conforto explorada na temporada anterior. O inimigo The Master apareceu apenas em duas histórias, já que a produção queria explorar outros vilões apresentados em histórias anteriores como os Daleks no primeiro arco. No fim desta temporada, houve uma mudança no visual da TARDIS no arco The Time Monster, mas que não continua nas próximas temporadas porque o cenário acabou estragando durante a pausa das gravações entre uma temporada e outra (hiatus).  Essa temporada é constituída pelos arcos:

  • Day of the Daleks (quatro episódios)
  • The Curse of Peladon (quatro episódios)
  • The Sea Devils (seis episódios)
  • The Mutants (seis episódios)
  • The Time Monster (seis episódios)

Décima Temporada: A Return To Wandering

the three doctors

Começando em 1972 e se prolongando até o ano de 1973, A Return To Wandering foi a quarta temporada em que Barry Letts trabalhou sucessivamente como produtor da série. A produção de Doctor Who gostou da ideia de lançar sempre no início de uma temporada, algo de impacto para atrair mais espectadores e a publicidade. Sendo assim, vimos a introdução do vilão The Master na oitava temporada e na seguinte o retorno dos Daleks. Já na décima, temos logo de cara um arco especial em comemoração de dez anos da série.

Intitulado The Three Doctors, o arco escrito por Terrance Dicks e dirigido por Lennie Mayne foi exibido entre dezembro de 1972 e Janeiro de 1973 e teve cerca de 10,3 milhões de espectadores. Nele, temos um encontro das duas primeiras encarnações do Doctor com um Hartnell bem frágil devido a situação de sua saúde, por isso foram poucas as cenas em que ele aparece e geralmente ele está sentado. Os três Doctors se juntam pois precisam derrotar um inimigo chamado Omega que usa um buraco negro para sugar energia cósmica do Universo. O Primeiro Doctor fica encarregado de os avisar por scanner da TARDIS enquanto o Segundo e o Terceiro Doctor viajam pelo buraco negro. O encontro só foi possível porque os Time Lords quebram a primeira Lei do Tempo, convocando assim suas encarnações anteriores.

Os arcos desta temporada são:

  • The Three Doctors (quatro episódios)
  • Carnival of Monsters (quatro episódios)
  • Frontier In Space (seis episódios)
  • Planet of the Daleks (seis episódios)
  • The Green Death (seis episódios)

Décima Primeira Temporada: Facing Fears

Com a partida da companion Jo Grant, a atriz Elisabeth Sladen assume a posição de companion interpretando Sarah Jane Smith. Esta temporada já estava dando sinais de fraquezas, assim como a própria BBC cita em relatos em seu site em uma página voltada para a Série Clássica. Além disso, somou-se a morte do ator Roger Delgado (The Master), as saídas de Katy Manning e Barry Letts, Jon Pertwee não se sentia bem em continuar e equipe achou que já estava na hora de haver mais uma regeneração. Mesmo assim, essa temporada registrou uma boa audiência durante sua exibição. Os arcos foram:

  • The Time Warrior (quatro episódios)
  • Invasion of the Dinosaurs (seis episódios)
  • Death to the Daleks (quatro episódios)
  • The Monster of Peladon (seis episódios)
  • Planet of the Spiders (seis episódios)

Outras aparições de Pertwee

Arte de um fã comparando Sean Pertwee com seu pai.
Arte de um fã comparando Sean Pertwee com seu pai.

 

Além das cinco temporadas com Jon Pertwee sendo o Terceiro Doctor, o ator voltou ao personagem no especial The Five Doctors que comemorou 20 anos da série em 1983 e em diversos documentários, comerciais e até no teatro. Infelizmente, o ator morreu de infarto em 1996. Seu filho, Sean Pertwee (Gotham, Equilibrium) já fez ao seu pai e os fãs torcem para que um dia o Doctor de Pertwee seja revivido por ele, já que a semelhança com o seu pai é enorme. Sean já chegou a se vestir como o Terceiro Doctor para o Halloween e os fãs nunca deixam de criar teorias e esperanças. Quando se interpreta um Doctor é deixado para sempre um legado. Assim como seus antecessores, Jon Pertwee foi único e sempre será lembrado.

REFERÊNCIAS 

Universo WhoMisinformationDailyMail ScreenonlineWeb Archive – My TardisDoctor Who TVBBCSci Fi Wire

Julia Brazolim dos Santos

Técnica em Informática. Leitora assídua dos mais diversos gêneros literários e fanática pela série Doctor Who.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: