5 Ferramentas para Divulgação Científica e como usá-las | Dicas

Não é novidade para nossos leitores que esse site é composto por pessoas que gostam de pesquisar e estudar, certo? Por conta dessa característica, as vezes aparecemos com algumas dicas para outras pessoas que também são estudantes e/ou pesquisadores. Dessa vez, as dicas são sobre como tornar a sua pesquisa mais visual e como fazer infográficos, flowcharts e semelhantes, mesmo sem ser designer.

Essas habilidades são importantes porque a comunicação visual torna a pesquisa mais fácil de ser divulgada e compreendida por pessoas leigas. Convenhamos, não faz sentido em fazer ciência se não formos capazes de divulgá-la e torná-la compreensível para os demais. Afinal de contas, o sonho de todos os estudantes e pesquisadores é que sua ciência seja conhecida e reconhecida.

O Centro de Informações Nucleares recentemente divulgou algumas formas de divulgar um artigo científico.

Tudo isso parece muito legal, mas o que dificulta a nossa vida é tornar um conhecimento complexo em algo visual, prático e fácil de ser compreendido, certo? Por conta disso, vou apresentar 5 ferramentas que são online e têm versões gratuitas. Eu uso essas ferramentas tanto para compor apresentações de slides em conferências e palestras, quanto para produzir gráficos e imagens para os artigos e textos que estou escrevendo. Além de usá-las para realizar trabalhos acadêmicos, sei que elas são eficazes para essa função de divulgação científica.

1 – Vídeos animados

Existem várias ferramentas com essa finalidade, mas a que eu mais tenho utilizado e gostado é o PowToon. Essa ferramenta disponibiliza backgrounds, personagens e uma grande diversidade de animações possíveis. Os vídeos podem ter o tempo que você quiser e as narrações podem ser gravadas na hora, além de ser possível adicionar músicas. Caso a animação não seja necessária, a ferramenta pode ser utilizada para produzir apresentações de slides. O que pode ser considerado uma desvantagem é que, na versão gratuita, os vídeos são baixados com uma marca d’água da ferramenta e terminam com uma pequena vinheta da mesma. A ferramenta é adequada para quem não tem conhecimento de design e edição de vídeo, porque seu uso é bastante intuitivo.

2 – Infográficos e Redes Sociais

Para transformar a pesquisa em imagens, uma das melhores ferramentas é o infográfico. Eu uso o Canva para a criação destes. O site é gratuito e intuitivo, possui vários templates prontos e oferece a possibilidade de você começar do zero. É possível adicionar imagens do seu arquivo próprio ou utilizar os ícones já fornecidos por eles.

Entre as possibilidades que o site oferece, estão: a criação de infográficos, de imagens para social media, apresentações (para slides ou outros formatos) e cartazes (que pode ser utilizado para fazer pôsteres para conferências ou apresentação em empresas). Mas não são apenas essas as opções, o Canva serve pra muita coisa e é uma ótima carta na manga, tanto para pesquisadores e estudantes, quanto para profissionais de comunicação. Além de online e gratuito, sua interface em português e ele permite que projetos sejam trabalhados em equipe.

 

3 – Diagramas e Flowcharts

Diagramas são utilizados para as mais diversas áreas de conhecimento. São a maneira mais simples e intuitiva de colocar uma ideia no papel. Muitas vezes os fazemos manualmente, mesmo sem ter a ciência de que se tratam de diagramas. O que ignoramos é que se eles nos ajudam a visualizar nossa própria ideia, certamente vão ajudar outras pessoas a entendê-la.

Para fazer diagramas esteticamente agradáveis e sem ter o trabalho de realizá-los nos programas comuns do pacote Office ou ainda em programas de imagem, como Paint ou Photoshop, eu utilizo o LucidChart. Também online e gratuito, ele oferece diversos templates para serem modificados. Diagramas comuns, como o de Venn, mapas mentais, árvores genealógicas e coisas mais complexas, como acompanhamento de jornada de usuários, casos de uso e afins. É possível criar o próprio template e trabalhar com colaboradores externos. A versão gratuita da ferramenta estabelece um limite de documentos ativos simultaneamente e há pacotes pagos por $4,95 mensais.

 

4 – Nuvens de Palavras

Uma ótima forma de apresentar visualmente dados de pesquisas qualitativas, que envolvem várias respostas diferentes, são as nuvens de palavras. O software que eu utilizo é o WordClouds que oferece vários templates para que as palavras se adequem. Online, gratuita e sem necessidade de realizar cadastro, a ferramenta atende todas as expectativas e cumpre muito bem sua função. Você pode criar uma lista no próprio software ou importar de um PDF ou doc. É possível personalizar a fonte, cores e tamanho das letras e da própria nuvem. Depois de criar sua nuvem, você pode salvar em PNG ou JPG e incorporar tanto no seu documento de texto quanto em qualquer outra das ferramentas aqui apresentadas.

5 – Apresentações

Essa é uma ferramenta razoavelmente conhecida, que pode ser utilizada para tornar as apresentações em conferências, palestras ou mesmo nas aulas e defesas, mais profissional e interessante do que um simples slide. Estou falando do Prezi, que também é online e gratuito.

O software oferece a possibilidade de criar apresentações interativas, mesmo sem ser design. Assim como as outras ferramentas aqui apresentadas, seu uso é intuitivo e baseado em arrastar os ícones que você deseja que apareçam na sua apresentação. Mais uma vez, o software dispõe de uma variedade de templates e ícones, mas permite que tudo seja modificado e personalizado.

A desvantagem da versão grátis é que não é possível fazer download da sua apresentação, nem ter acesso offline a ela. Porém, é possível liberar acesso público e online para a apresentação, através de um link. As versões pagas tem valor a partir de $5 mensais.

 


Com o uso destas ferramentas é possível tornar o conteúdo da sua pesquisa mais popular e acessível para pessoas leigas, favorecendo a divulgação da ciência. É claro que não adianta ter todo o trabalho de fazer animações e infográficos incríveis se você não compartilhar e divulgar isso. Portanto, é importante colocar esses materiais em locais de público acesso, como suas redes sociais e sites de repositório, tais quais o Slideshare, Academia.edu e Researchgate, por exemplo.

Caso você tenha gostado das dicas e se interesse por outras semelhantes, nos avise para que possamos inserir nas nossas pautas futuras!

Mayra Sousa Resende

Cursa mestrado em Informática e Antropologia, ambos na UFPR. Possui especialização em Mídias Digitais pela UP e bacharelado em Ciências Sociais pela UFPR.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: